Ser Completamente – Igor nELson

Ser Completamente

Canto… no meu canto, canto.
Quanto dói ser cativo do meu encanto.
Por enquanto, sozinho e sem espanto,
Quieto e isolado num rio de pranto.

Entretanto,
Quanto do meu canto é encanto?
Quanto do meu canto…
Tal não é o meu espanto,
Quando o canto não tem encanto nem
O recanto que tinha encanto ontem.

Dói um tanto, ficar assim,
Nesse meu canto,
Vivendo assim,
Por enquanto, sem encanto,
Eu, sozinho no meu canto.
Sem espanto por baixo do manto,
Num rio de pranto.

Segue-nos em:
instagram.com/momentospoesia/ 
https://www.facebook.com/momentospoesialivre/ 

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *